Thursday, November 23, 2017
EDUARDO MATARAZZO SUPLICY

Maratona Suplicy: solidariedade aos sem-teto e em defesa da cultura

outubro 31, 2017

Uma boa noite de sono solidário em São Bernardo do Campo, na Grande São Paulo. Essa foi a atividade do vereador Eduardo Suplicy na madrugada de terça-feira (31/10). Ele dormiu na ocupação do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto) no bairro Planalto, onde estão quase 10 mil pessoas.

O vereador participou de ato no dia anterior que contou com o cantor Caetano Veloso e as atrizes de TV Letícia Sabatela, Sonia Braga e Alinne Moraes.

Pela manhã, Suplicy participou do início da marcha de 23 quilômetros dos sem-teto até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual.

Em seguida, ele foi para a Câmara Municipal, onde participou de duas importantes reuniões. O primeiro compromisso foi a reunião da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Feira da Madrugada, da qual ele é integrante. O tema foi novamente o funcionamento da área chamada Hortifrúti.

Depois Suplicy compareceu à audiência pública para discutir a Proposta de Lei Orçamentária 2018 (PL 686/2017). Ele realizou um rápido pronunciamento em favor dos vários coletivos de rap da cidade e também em favor do Teatro Oficina Uzyna Uzona, do dramaturgo José Celso Martinez Correa, em litígio com o Grupo Silvio Santos por conta de projetos comerciais ao lado do prédio do teatro.

À tarde, na sessão plenária da Câmara, ele fez um discurso ressaltando a necessidade da implantação da Renda Básica de Cidadania para diminuir a pobreza e reduzir as desigualdades sociais, além de defender a ocupação do MTST em São Bernardo Campo.

Suplicy se mostrou indignado com a proibição do show de Caetano Veloso na segunda-feira (30/10), na ocupação, determinada pela Justiça por “motivos de segurança”.

Na sessão plenária da Câmara, Suplicy votou contra o projeto de lei 555/2015, que institui um programa de incentivos fiscais na capital paulista. O projeto, no entanto, foi aprovado por 31 votos favoráveis, 12 contrários e duas abstenções

Com a aprovação, serviços que antes não recolhiam ISS (Imposto sobre Serviço) passam a pagar o imposto. Um exemplo é o chamado streaming, a disponibilização de conteúdos feita por empresas como a Netflix.

À noite, Suplicy prestigiou ato em apoio ao Teatro Oficina Uzyna Uzona na Faculdade de Direito da USP, no Largo São Francisco. O teatro está ameaçado por conta da intenção do empresário Silvio Santos de construir um complexo residencial no terreno ao lado.

 

Por favor Subscreva e dê um Gosto:

Intagram

Partilhar

Facebook